Mário Quintana



mário quintana, mário quintana poemas, poemas mário quintana
Mário Quintana
E o que quer dizer uma nuvem? - respondi triunfante. Uma nuvem - disse ela - umas vezes quer dizer chuva, outras vezes bom tempo...

Qual Ioga, qual nada! A melhor ginástica respiratória que existe é a leitura, em voz alta, dos Lusíadas.

Qualquer ideia que te agrade, Por isso mesmo... é tua. O autor nada mais fez que vestir a verdade Que dentro em ti se achava inteiramente nua...


E assim, ouvi-lhe todo o amor alheio. Ah, pobre amigo, nunca saibas tu Como é ridículo o amor... alheio!

Reflexão de Lavoisier ao descobrir que lhe haviam roubado a carteira: nada se perde, tudo muda de dono.

Se alguém te perguntar o quiseste dizer com um poema, pergunta-lhe o que Deus quis dizer com este mundo...

Se eu amo o meu semelhante? Sim. Mas onde encontrar o meu semelhante?

Se me esqueceres, só uma coisa, esquece-me bem devagarzinho.

Se um poeta consegue expressar a sua infelicidade com toda a felicidade, como é que poderá ser infeliz?

Sempre me senti isolado nessas reuniões sociais: o excesso de gente impede de ver as pessoas...

Senhora, eu vos amo tanto / Que até por vosso marido / Me dá um certo quebranto.

Só a poesia possui as coisas vivas. O resto é necropsia.

Só se deve beber por gosto: beber por desgosto é uma cretinice.

Minha vida é uma colcha de retalhos. Todos da mesma cor.

Não importa saber se a gente acredita em Deus: o importante é saber se Deus acredita na gente...

O grande consolo das velhas anedotas são os recém-nascidos...

O segredo é não correr atrás das borboletas... É cuidar do jardim para que elas venham até você.

O tempo é um ponto de vista. Velho é quem é um dia mais velho que a gente...

Quando completei quinze anos, meu compenetrado padrinho me escreveu uma carta muito, muito séria: tinha até ponto-e-vírgula. Nunca fiquei tão impressionado na minha vida.

Ser poeta não é dizer grandes coisas, mas ter uma voz reconhecível dentre todas as outras.

Um poema só termina por acidente de publicação ou de morte do autor.

O estilo é uma dificuldade de expressão.

O livro traz a vantagem de a gente poder estar só e ao mesmo tempo acompanhado.

O mais difícil, mesmo, é a arte de desler.

Vale a pena viver - nem que seja para dizer que não vale a pena...

A alma é essa coisa que nos pergunta se a alma existe.

A amizade é um amor que nunca morre.

A arte de viver é simplesmente a arte de conviver ... simplesmente, disse eu? Mas como é difícil!

A preguiça é a mãe do progresso. Se o homem não tivesse preguiça de caminhar, não teria inventado a roda.

Mas o que quer dizer este poema? - perguntou-me alarmada a boa senhora.

Sonhar é acordar-se para dentro.

Tão bom morrer de amor e continuar vivendo.

Três amores... Quem me deu Tão estranha sorte assim? Três amores, tenho-os eu E nenhum me tem a mim!
poema mário quintana, mario quintana poema, poesia mário quintana
Mário Quintana


Autodidata é um ignorante por conta própria.

Dizes que a beleza não é nada? Imagina um hipopótamo com alma de anjo... Sim, ele poderá convencer os outros de sua angelitude - mas que trabalheira!


Postar um comentário

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...